Escolha uma Página

Olá!

Vou dividir aqui meus conhecimentos como designer de moda e consultora de imagem com você!

Ao longo de minha carreira, fui adquirindo conhecimentos e capacidade técnica para desenvolver um talento natural em entender corpos – os chamados biótipos – e o que lhes cai bem, lançando mão de tendências de moda, cartelas de cores, texturas, padronagens etc.

Para expor parte importante desse aprendizado, bastante útil na construção de uma imagem pessoal positiva, decidi apresentá-los aplicando em mim as mesmas técnicas de consultoria de imagem que utilizo para meus clientes, editando looks com as peças do meu guarda-roupa.

Dessa forma, vou explicar tecnicamente a relação entre modelagem, biotipos e estilos existentes.

Dos sete estilos existentes – sexy, romântico, elegante, tradicional, esportivo, criativo e moderno –, normalmente permeamos três ao longo da vida. Mas isso pode variar. Há pessoas que alternam até quatro e outras, que precisam de ajuda, são capazes de manter um único estilo por toda a vida, mostrando que precisam deixar a rigidez e apresentar uma imagem mais flexível e positiva de si mesma.

E quando falamos de biótipo nos referimos aos diferentes tipos de corpos existentes: oval, retângulo, ampulheta, triângulo e triângulo invertido. Nascemos com um mas podemos migrar para até três ao longo da vida, quando experimentamos formas retilíneas ou arredondadas, por exemplo.

 

Vamos a uma análise da minha imagem pessoal

Em boa parte da minha vida, mantive um estilo quase totalmente romântico (80%), por dificuldade de me posicionar perante aos outros estilos que eu conjugava: o elegante e moderno. Hoje, carrego todos eles de maneira equilibrada, deixando aflorar aquele que melhor condiz com cada momento da minha vida.

Com ombros mais largos que os quadris e pouca quadril, me enquadro no biótipo triângulo invertido. E dentro da metodologia que desenvolvi, acredito que temos três graus de desproporção nesse biótipo. E aí vem a pergunta:

– Como faço para equilibrar a minha imagem corporal e não parecer um Tarzan de saias?

Lanço mão de especialmente de alguns roupas e acessórios que são caros à minha imagem: coletes longos, cintos largos e detalhes que deem volume ao meu quadril.

Veja algumas fotos que exemplificam esses truques:

 

[rev_slider alias=”slide=post-01″][/rev_slider]